terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Fotos de Vitória - ES. Linda demais







Vitória é a capital do estado do Espírito Santo, Brasil . Ele está localizado em uma pequena ilha dentro de uma baía. Foi fundada em 1551. A cidade propriamente dita (área de 93 km quadrados) tem uma população de 313.300 (2005), enquanto a Grande Vitória área metropolitana tem uma população de mais de 1.612.885 (2005), o maior 14 no Brasil. Em 1998, a Organização das Nações Unidas avaliaram Vitória como a quarta melhor das capitais no Brasil para se viver, classificação em saúde , educação e projetos de melhoria social.


Vitória é a número um entre 21 capitais brasileiras quando o assunto é a qualidade de vida. É o que aponta uma pesquisa realizada pela Associação ProTeste, que ouviu pessoas em todo o Brasil. Segundo o levantamento, a capital capixaba lidera três dos seis quesitos considerados pela população como os mais importantes para a qualidade de vida: Habitação, Saúde e Segurança.

Em outros dois – Educação e Mobilidade –, a Capital ocupa o segundo lugar, ficando atrás apenas de Curitiba. No quesito Emprego, Vitória aparece na quinta posição, mas ainda no grupo das que tiveram avaliação considerada boa.

Qualidade de vida
O aposentado Darly Casteluber gosta de caminhar por Vitória,  especialmente na Beira-Mar. Ele já morou em Brasília e Porto Alegre e considera  que a  capital capixaba oferece mais  qualidade de vida.

“Gosto de morar aqui. Vitória é uma cidade ainda tranquila, com um jeito provinciano”
Darly Casteluber, aposentado, natural de Santa Teresa (ES)

 
Ranking da associação proteste

As três primeiras 
1º) Vitória
2º) Curitiba
3º) Recife

As três últimas 
19º) Maceió
20º) Salvador
21º) Natal

Segurança 
1º) Vitória
2º) Campo Grande
3º) João Pessoa
19º) Belém
20º) Salvador
21º) Maceió
Emprego1º) Curitiba
2º) Cuiabá
3º) Manaus
19º) São Luís
20º) Salvador
21º) João Pessoa
Habitação1º) Vitória
2º) Aracaju
3º) Goiânia
19º) Maceió
20º) Recife
21º) Salvador
Mobilidade1º) Curitiba
2º) Vitória
3º) Campo Grande
19º) São Luís
20º)  Cuiabá
21º) Salvador
Educação1º) Curitiba
2º) Vitória
3º) Florianópolis
19º) Salvador
20º) São Luís
21º) Maceió
FONTE: ProTeste

Além de ter sido feito no Brasil, o estudo foi realizado em Espanha, Portugal, Bélgica e Itália. E, a partir deste ano, deve ser anual.

As entrevistas foram realizadas por e-mail. "Enviamos convites para pessoas de várias capitais brasileiras. Mas só entraram no estudo os 21 municípios que conseguiram ter uma quantidade de respostas estatisticamente confiável", explicou a coordenadora da pesquisa no país, Melissa Reis.

Ela acrescenta que cada pessoa respondeu sobre a própria cidade, atribuindo notas de 0 a 100 para 11 quesitos, além de definir quais deles são os mais importantes para a qualidade de vida. Os seis critérios mais importantes foram Habitação, Saúde, Educação, Mobilidade, Emprego e Segurança. Também foram avaliados itens como paisagem urbana, meio ambiente, planejamento administrativo, comércio e serviços, além de um índice geral, que ainda será divulgado pelo instituto.

Melissa Reis também ponderou que, apesar de a cidade de Vitória aparecer entre as melhores na avaliação, deve ser feita uma ressalva. "Mesmo melhores, as notas são baixas. Isso significa que ainda há o que melhorar", pontua.

A maior pontuação da Capital nos seis principais critérios é de 72, em Habitação. No quesito Segurança, a pontuação é de 51; e Mobilidade, apesar da segunda posição, tem a menor nota: 50.


análise
É preciso avançar em mobilidade

Os critérios apontados no estudo realizado pela Associação ProTeste são mesmo importantes para a qualidade de vida na cidade. Questões como segurança e mobilidade – nós sabemos – sempre são problemáticas. Esses resultados obtidos em Vitória decorrem da implantação de uma gestão mais planejada na Capital, além de a cidade ser a que possui maior arrecadação, logo, mais dinheiro para investir. É bom mencionar que a cidade é pequena e tem população menor em relação às outras capitais. É preciso avançar em mobilidade, por exemplo, na promoção do uso da bicicleta e na melhoria da qualidade do transporte. É importante também investir em oportunidades culturais para a população, porque Vitória ainda está na periferia da cultura nacional.

Paulo Vargas 
Professor de Arquitetura e Urbanismo 

Jericoacoara atrai turistas de todo o mundo

Sol, ventos e agito atraem visitantes do mundo todo a Jericoacoara (CE)
Ruas de areia e sotaques dão charme ao local, que fica a 284 km da capital.
Praia é um dos pontos mais badalados para prática de windsurfe e kitesurfe.

Velejador Levi Lenz começou a frequentar a praia ainda criança. (Foto: Richard Ström/Divulgação)

Ventos fortes e águas mornas em um dos lugares mais encantadores do mundo. Assim velejadores que já descobriram Jericoacoara descrevem a praia, na cidade de Jijoca, a 284 quilômetros de Fortaleza. A antiga vila de pescadores é um dos principais destinos de praticantes de windsurfe e kitesurfe, mas em meio a sotaques de toda parte, esportista ou não, o visitante pode relaxar em paisagens paradisíacas ou cair no agito noturno da praia.


Entre julho e janeiro, época dos ventos mais fortes no Ceará, o mar de Jericoacoara fica tomado por velas, pipas e pranchas. É só passear pela praia para encontrar grandes velejadores do mundo. Depois do Circuito Mundial de Windsurfe, em outubro, a maioria dos atletas da disputa passa uma temporada obrigatória em Jeri, seja para rever a família e amigos, renovar as energias ou treinar.

“Além das condições para a prática do esporte, Jericoacoara tem um charme especial”, diz o velejador cearense Teka Lenz, um dos primeiros a descobrir esse verdadeiro “paraíso dos ventos”.

Quem conhece o mar de Jeri conta que é quase impossível ficar um dia sem conseguir velejar no local. “Os ventos são muitos estáveis durante todo o ano. Os picos de vento ficam entre 20 e 30 nós e, no segundo semestre do ano, podem chegar a 40 nós. Poucos lugares no mundo são assim”, explica Lenz, presidente da Associação Brasileira de Windsurfe.

Na alta temporada, um dos clubes de esportes aquáticos da praia, o Club Ventos, chega a receber 200 velejadores, de acordo com o gerente de marketing Nuno Martins. O local funciona há 25 anos oferecendo aulas e alugando equipamentos para a prática de windsurfe, kitesurfe, surfe e stand-up paddle (esporte praticado em uma espécie de prancha de surfe em que a pessoa rema em pé).

“A única preocupação em Jeri é não esquecer de sair da água pelo menos duas vezes durante o dia para passar protetor solar e se hidratar. Os ventos são tão bons que quem veleja fica o dia todo no mar”, conta Levi Lenz, que é cearense e começou a velejar aos seis anos de idade com o pai Teka Lenz.

Hoje, aos 24 anos, o jovem está entre os 20 melhores do mundo na categoria freestyle de windsurfe e revela sua preferência por Jericoacoara para treinar e se divertir. “Vou umas 15 vezes por ano. O legal de Jericoacoara é que você acaba reencontrando amigos do mundo todo, além de conhecer novas pessoas. Em outros lugares também bons para velejar, as pessoas geralmente ficam isoladas nas casas e não se encontram no fim do dia”, afirma.

Amor à primeira velejada
A fama de Jeri corre o mundo. O italiano Maurizio Gusella soube no Havaí dos bons ventos e da tranquilidade da praia. Em 2000, ele chegou ao local para uma temporada de velejo decidiu voltar para ficar em 2002. “Jericoacoara é o segundo melhor lugar do mundo para velejar, atrás somente do Havaí. Em estilo de vida, é o melhor”, diz o italiano.

Gusella resolveu ensinar o esporte aos meninos nativos, casou com uma brasileira e é proprietário da pousada onde ficou hospedado na primeira vez que foi a Jeri. A cerca de 100 metros da praia, a Pousada do Maurício é uma das principais opções de hospedagem dos velejadores e um dos ''points'' depois que eles saem do mar. O “happy hour” na pousada mostra que Jeri não ferve somente durante o dia. A vila tem encantos e atrações para todos os gostos e todas as horas.

Ex-aluno de Gusella, Edvan Souza, 24 anos, não esquece do mar e do vento de onde nasceu e que fizeram dele um dos destaques internacionais do esportes. “Não falo só em termos de velejar, mas Jericoacoara é um local especial. Você aproveita todas as coisas da cidade durante o dia e a noite. É um lugar completo”, diz Edvan que aprendeu o esporte ainda menino.
Depois de uma caminhada de 30 minutos, o visitante chega à Pedra Furada, portal formado na rocha pelos ventos e pelo mar. (Foto: Kelvia Alves/Arquivo pessoal)

Pôr do sol
Para quem não quer velejar ou fazer programas de aventuras, Jeri oferece muitos encantos. Além das belezas naturais, há uma programação diversa. Por isso, o indicado é ficar, no mínimo, quatro dias. A caminhada pela vila pode ser a pé, com chinelo de dedo, e outros passeios podem ser feitos a cavalo ou de bugues para paisagens mais distantes.

Todos os dias, por volta das 5h30, faz parte da rotina de quem está em Jericoacoara admirar o pôr do sol da duna mais conhecida, a oeste da vila. Depois de descer da Duna do Pôr do Sol, ainda dá para tomar um banho no mar e acompanhar as rodas de capoeira que se formam na praia.

Para ir até a Pedra Furada, pode se fazer uma caminhada de 30 minutos quando a maré está baixa. A formação rochosa tem um imenso portal feito pela erosão do mar e do vento. Outra opção para chegar até a Pedra Furada é ir de charrete ou a cavalo, o aluguel custa R$ 20. Em maré alta ou mesmo na volta, um caminho alternativo é pelo Serrote com uma vista superior da pedra e da praia. Como a caminhada pode durar mais de uma hora, ida e volta, o indicado é levar água e proteção para o sol.

De bugue pelas dunas e lagoas

Todos os dias, cerca de 200 bugueiros credenciados realizam passeios para lagoas e dunas ao redor do Parque Nacional de Jericoacoara. A maioria se concentra na Rua Principal e busca cliente na pousada ou hotel. Quem tiver sorte, ainda pode conhecer esses lugares com a única bugueira mulher de Jericoacoara, a maranhense Simone Silva Sousa. Ela mora em Jeri desde 1997. “Amo dirigir e conheço todas as dunas e lagoas da região ”, garante.

Simone conta que o passeio de bugue mais procurado é o de Tatajuba e custa R$ 180 (dividido entre quatro pessoas). Saindo às 9h da manhã, o passeio dura em média seis horas. O roteiro segue a vontade dos visitantes, mas geralmente começa no Rio Camboa e pode passar por uma região de mangues preservados.

Depois de uma travessia de balsa, do Mangue Seco para o Guriú, se chega na Velha Tatajuba, vilarejo soterrado pela areia. Dona Delmira, umas das moradoras e testemunhas do fenômeno, recebe os visitantes, contando histórias e mistérios do local. De lá, o destino são as dunas do Coqueiro Solitário e do Funil, onde muitos esquiam em uma pequena prancha de madeira, e, por fim, a Lagoa Torta. Os custos com as travessias de balsa (R$ 10) não estão inclusos no valor do passeio de bugue.

Quem prefere relaxar pode aproveitar a sensação deliciosa de ficar deitado em uma rede dentro da água morna da Lagoa do Paraíso, localizada em Jijoca de Jericoacoara. Essa atração faz parte do roteiro que ainda inclui a Lagoa Azul e a Lagoa do Coração. O passeio custa R$ 150 e também pode ser dividido entre quatro pessoas.

Sabores de todo mundo
Na vila, são encontradas dezenas de restaurantes. Tem do prato feito, com opções de peixe frito e de moqueca de arraia por R$ 6, até cardápio internacional em restaurantes mais refinados. Quem vai ao local não pode deixar de provar o tempero caseiro do Restaurante Dona Amélia, na Rua do Forró. Os pratos custam cerca de R$ 50 para duas pessoas.
Restaurantes à beira mar fazem do jantar um
momento especial. (Foto: Rodrigo West/Jeri360.com)

Outra boa opção são os crepes e o açaí do Naturalmente, servidos em um ambiente agradável, de frente para praia. A proprietária Carla Arruda mora há 15 anos na vila se dividindo entre pranchas e fogões e resolveu ficar depois de passar um réveillon no local.

A torta de banana da Dona Rosa é um dos sabores irresistíveis de Jericoacoara, além de guardar uma boa história. Há 30 anos, a mulher circula de domingo a domingo pelas ruas vendendo pedaços da torta por R$ 3 cada. Com a produção desses doces, Rosa ajudou a sustentar os quatro filhos e até montou uma pousada. “Fico triste no dia em que eu não saio para vender minha torta de banana”, conta.

A receita leva ovos, açúcar, margarina, farinha de trigo, banana, canela e mel. “O segredo está na mão e na prática de 30 anos”, revela. Rosa oferece os doces em restaurantes e nas ruas das 15h às 18h.


Noite
Apesar de ter energia elétrica, a vila continua sem iluminação pública. A noite tem um céu estrelado e a lua que ilumina as ruas com ajuda das velas e luzes dos restaurantes, hotéis e casas. Se engana quem pensa que o movimento na praia se diminui com o cair do sol. Diversos locais e ritmos animam a madrugada de Jericoacoara.

Na Rua Principal, banquinhas vendem bebidas e coquetéis para quem quer circular, conversar e paquerar. O Sky e o Planeta Jeri são os points mais próximos da praia. Mais para dentro da vila, na Rua da Duna, o visitante pode se divertir com reggae no Mamma África. Na Rua do Forró, a pedida é curtir o ritmo tipicamente cearense no antigo forró do Seu Raimundo, hoje batizado de Recanto do Momento.

Mapa dos pontos turísticos de Jericoacoara (Foto: Editoria de Arte/G1)


Gabriela Alves
Do G1 Ceará

sábado, 24 de dezembro de 2011

Top 10 cidades dos Estados Unidos para turismo de arte


Top Ten EUA Art Cidades
Para uma viagem de férias cultural para admirar uma a arte de tirar o fôlego e estimular a sua criatividade aqui está a nossa lista de dez cidades imperdíveis.
Escultura de Chicago Cloud Gate no Millenium Park (Kate Chandler)


10. Fort Worth, Texas 
FortWorth


Uma mistura de história de cowboy e cultura elevada, Fort Worth possui dois museus de classe mundial. O Kimbell Art Museum é uma jóia com uma seleção requintada de arte europeia desde a Antigüidade até do século 20 com obras-primas de Caravaggio, Rembrandt, e Seurat, além de asiáticos e arte pré-colombiana. É muitas vezes a única parada nos Estados Unidos para exposições de turismo. O Museu de Arte Moderna abriga a maioria da arte pós-1945, particularmente de estrelas da New York School como Jackson Pollock. A estrutura do Museu de Arte Moderna é projetada de forma dramática, repleta de luz, um espelho d'água pelo arquiteto Tadao Ando do Japão (laureado pela Pritzker Prize-winning). Arte americana, paisagens e fotografias especialmente Western, estão em exposição no Museu Amon Carter .

9. San Antonio, Texas 
 McNay Art Museum

Cerca de quatro horas e mudança no caminho de Fort Worth, você encontrará a florescente San Antonio. A coleção do museu de arte latino-americana, doados por Nelson Rockefeller e que vão desde a arte popular do México pré-colombiano e arte colonial espanhola , é considerado o maior da América do Norte. O McNay Art Museum é uma villa de estilo mediterrânico encantador, com tetos estampados, azulejos pintados à mão, e um pátio central, a antiga casa de petróleo herdeira Marion Koogler McNay, que abriga uma coleção fascinante de Pós-impressionismo do início do século 20 europeu e arte americana e Medieval. O Blue Star Arts Complex é o coração da cena de arte da cidade contemporânea, com galerias e tribuna de artistas em armazéns renovados. O Museo Alameda , uma afiliada da Smithsonian, exibe arte Latina em um edifício com um design de fachadas vivas de recorte inspirado no artesanato mexicano de "papel cortado."

8. Boston, Massachusetts
Em um edifício veneziano em estilo palazzo com um pátio tomado por uma linda fonte, o Isabella Stewart Gardner Museum exibe renascentista italiano, Old Masters, e Pós-impressionistas, como Degas e Matisse. O enciclopédico Museu de Belas Artes apresenta a maior coleção de Monet fora da França (três dúzias de pinturas ), além do Egito pendentes, Nubian, e coleções de arte norte-americana. Arte, inovador encontra-se num edifício impressionante em waterfront Instituto de Arte Contemporânea, onde exposições incluíram temas como materiais de artistas e processos.


7. Houston, Texas


O Museu Distrital é um cluster de 18 museus, mais notavelmente o Museu de Belas Artes , o maior museu do Sudoeste, onde uma jóia de ouro e surpreendente coleção de artefatos da África, Indonésia e América Latina são exibidos, bem como romanos, antiguidades gregas e egípcias, dois Rembrandts, uma das dez maiores coleções de fotos do mundo (mais de 20.000 fotografias), e uma robusta coleção de pintura americana. Uma grande coleção de itens surrealistas, protagonizado por Magritte, Ernst, e Picasso-plus que possuíam que estimulou a inspiração é apresentado na The Menil Collection , que também apresenta Pop Art de Warhol e Rauschenberg, e europeus e Próximo antiguidades orientais. O campus Menil no bairro Montrose folhosos também inclui a Capela Rothko, uma capela octogonal rígido desenhado pelo expressionista abstrato Mark Rothko, e um bizantino Fresco Chapel habitação Museu do século 13 e afrescos para santuário sereno. Para a arte verdadeiramente excêntrica, no Salão Laranja está um mosaico de uma estrutura descontroladamente excêntrica, arte concreta e descobre-se que um artista autodidata construiu para celebrar seu amor pelo laranja, enquanto que no Museu de Arte de carro , automóveis estão em exuberantes de arte. No Projeto Row Houses , a arte de vanguarda é exibido no shotgun estilo de casas.



6. Chicago, Illinois 
O museu segunda maior nos Estados Unidos, a expansão Art Institute of Chicago é conhecido pela sua franceses impressionistas, pós-impressionistas, Holandês Old Masters, seis Chagall vitrais, ea arte moderna e contemporânea. Chicago em si também é um museu ao ar livre grande da arte pública, particularmente no Millennium Park , onde populares obras modernas, como o vídeo-projeção Crown Fountain e gigantes Anish Kapoor de aço da Cloud Gate escultura estão em exibição. No centro da cidade, mais de 100 esculturas e instalações pelos gostos de Picasso, Miro, Chagall, Moore, e Stella enfeitam praças, lobbies, eo River Walk. O rio casas da vizinhança do Norte uma das maiores concentrações de galeria em um distrito de fabricação antiga, e muitas galerias ficam abertas até tarde uma noite a cada mês aqui, bem como no Hyde Park, Pilsen, e bairros Bridgeport.
Ver nossa galeria de fotos Chicago.


5. Dallas, Texas
O vasto Museu de Belas Artes apresenta uma coleção de cair o queixo de Renoir, Pissarro, Van Gogh e Cézanne, laca mãe-de-pérola, mobiliário e tapetes antigos alojados em uma réplica de uma villa na Riviera Francesa a Wendy e Reves Emery Colecção . Uma grande coleção de arte 19 e 20 do século europeus e americanos que vão desde Piet Mondrian para a Escola do Rio Hudson, e Asiático, Africano e da arte que se estende do Pacífico da Indonésia, Nova Guiné, e esculturas em madeira Africano para budista, hindu, islâmica e esculturas também está aqui. O museu está no compacto Dallas Arts District, como são os Nasher Sculpture Center , conhecido pela sua Rodin, Picasso, Matisse e esculturas de Giacometti, eo Corvo Colecção de Arte Asiática , que abriga delicadas esculturas de jade da China; pergaminhos japoneses, telas e esculturas, e uma tela do século 18, de arenito vermelho do norte da Índia. Uma das maiores coleções de arte espanhola fora da Espanha é encontrado uptown no Museu Meadows , abrangendo o cubismo de Picasso e Miró, Goya e Velasquez retratos reais, e retábulos renascentistas.
Ver nossa Galeria de Fotos Dallas .

4. Washington, DC 
Aprender a prática e história de espionagem no International Spy Museum , onde os programas incluem uma simulação da vida real de coleta de informações através de efeitos especiais, pistas e vídeo; passeios de mais de 25 locais relacionados com casos de espionagem famoso, e palestras de ex -espiões. A Instituição Smithsonian é o maior complexo mundial de museus, e sua gama de coleções de arte americana, Asiático, Africano, e moderno / contemporâneo de Picasso a Rodin de O'Keeffe no American Art Museum, Sackler e Galerias Freer, Museu Nacional de Africano arte, Hirshhorn Museum and Sculpture Garden. E todos eles são livres. A Galeria Nacional de Arte , que abriga obras-primas de Da Vinci, Botticelli, Rafael, Ticiano, Monet, Van Gogh, e os velhos mestres, faz parte do Smithsonian e está livre também.
Ver o nosso Washington, DC, Galeria de Fotos .

3. San Francisco, California 
O de Young Museum no Golden Gate Park é o único museu no mundo para acolher duas exposições de 200 obras de arte impressionista e pós-impressionista do Musée d'Orsay em Paris através de janeiro. O Museu de Arte Asiática é o lar de uma coleção abrangente de 6.000 anos de arte que vagueia pelo sudeste da Ásia, China, Japão, Índia, Tibet e Nepal. Além de sua rica coleção de americanos e alemães expressionistas abstratos, fauvistas (especialmente Matisse), e Klee, o San Francisco Museum of Modern Art recentemente adquiriu mais de 1.100 obras de arte modernas por Lichtenstein, Warhol, Marden, entre outros. É a primeira vez que a maioria vai ser visto em público.
Ver o nosso San Francisco Galeria de Fotos .

2. Santa Fe, New Mexico 
É o artiest pequena cidade que você já viu; mais de 240 galerias de arte, pelo menos 80 agrupado em Canyon Road sozinho, dot cidade esta de 60.000 pessoas. Museus especializados também estão em casa aqui. O Museu de Arte Popular Internacional abriga uma variedade impressionante de mais de 135.000 obras de arte, artesanato, têxteis e de mais de 100 países, a maior coleção mundial de arte popular. Outros incluem a Georgia O'Keeffe Museum , o Museu de Artes e Cultura indiana , eo Museu de História do Novo México . Fazer compras em mercados de arte famosas anuais, como o Mercado Internacional Folk Art e mercado espanhol , tanto em julho, eo mercado indiano , com mais de 1.000 artistas americanos nativos de muitas tribos, em agosto. 400 º aniversário de Santa Fe é em 2010, tantas ofertas especiais estão disponíveis.
Ver a nossa Santa Fé Galeria de Fotos .

1. New York, New York 
Na cidade do país a arte superior, você mancha obras-primas visto em fotos e filmes toda a sua vida no Metropolitan Museum of Art , tais como Ver El Greco de Toledo, e no Museu de Arte Moderna , como Starry Van Gogh Noite e Picasso Les Demoiselles d'Avignon. Três exposições rei Tut estão actualmente em exibição: no The Met, no Discovery Center Times Square , que mostra 130 artefatos da tumba do jovem rei e seus contemporâneos, e no Brooklyn Museum of Art , que tem uma extensa coleção de antigos egípcios. A exposição Picasso de 300 pinturas, desenhos e esculturas refletindo todos os seus períodos também está em The Met. Mas Nova York tem a arte para todos os gostos, incluindo The Frick Collection , onde a arte européia ocidental é exibido em uma mansão Idade de Ouro, o Museu Guggenheim , onde final do século 19 e início do século 20 características da arte Kandinsky muitos, Picasso, Chagall e obras; eo Museu Whitney de arte do século 20 americano. Alguns museus NYC oferecer entrada gratuita ou pay-what-you-wish nas noites de fim de semana. Galeria cheia de bairros incluem Chelsea e Madison Avenue, em Manhattan, e Williamsburg, no Brooklyn.


Por Sharon McDonnell

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Minas Gerais. Sabor do café leva turistas para São Lourenço

São Lourenço encontra no sabor do café um novo potencial turístico
‘Cidade das águas’, em MG, é famosa pelas fontes hidrominerais.
Fazendas no entorno investem no turismo rural e exploram o grão.

A pequena São Lourenço, no Sul de Minas Gerais, tem como principal atividade econômica o turismo. Há décadas, as fontes hidrominerais são o grande atrativo da cidade, que nos últimos anos descobriu um novo potencial: o sabor e o aroma de um café especial, apreciado internacionalmente.

Cultivo do café em fazenda no Sul de Minas encanta pela beleza e é nova aposta do turismo. (Foto: Paula Senra/Arquivo Pessoal)

Nas lavouras do Sul do estado brotam cerca de 50% de todo o café colhido em Minas, estado que lidera a produção brasileira. Com as condições climáticas e geológicas favoráveis, o fruto virou centro das atenções de um passeio para turistas que começa nas fazendas e termina em uma típica mesa mineira. Depois de caminhar pelas lavouras, apreciar a plantação do alto dos mirantes e entender a cadeira produtiva, é hora de degustar o café.

Aos 29 anos, o empresário Helcio Júnior herdou dos bisavós o gosto pela história e pelo cultivo do café. Na quarta geração de produtores, ele serve em uma cafeteria de São Lourenço o café colhido em Carmo de Minas, a nove quilômetros. “Aqui tem o melhor café do mundo, porque temos as melhores águas e os melhores grãos”, garante. Desde 1891, a família dele produz café voltado para exportação. Eles vendem principalmente para Japão, Estados Unidos e Inglaterra. Em 2007, Júnior e o irmão abriram uma torrefação de café especial.
“O café daqui tem acidez, doçura, corpo, não precisa de açúcar. O nível de aceitação é ótimo. É tomado um pouco mais frio, para sentir melhor o gosto”. Segundo Júnior, o potencial turístico do café passou a ser explorado recentemente. “Isso foi ditado pelo próprio mercado. A gente recebe empresários estrangeiros que vem comprar o produto in natura, que vem conhecer o nosso café. Os hoteleiros voltaram os olhos para isso e o produto acabou inserido no conceito de turismo da região”, disse.

São Lourenço praticamente não tem área rural, porque se estruturou como cidade polo do Circuito Turístico das Águas, investindo no setor hoteleiro e no comércio. O grão bastante apreciado vem das fazendas do entorno e se destaca em concursos com padrões internacionais, segundo a Associação Brasileira de Cafés Especiais.

A carioca Paula Senra, de 29 anos, conhece a cidade desde os tempos de colégio. “Na minha época de escola, era um hábito fazer excursão para o Parque das Águas. Depois voltei quando estava grávida e fiz um passeio muito agradável com meu marido”, disse. A visita a negócio aconteceu depois, com uma sócia. Elas têm uma cafeteria em um shopping de Volta Redonda (RJ) e mudaram o tipo de café servido depois que visitaram no início do ano as fazendas produtoras.

“É um café que não amarga na boca, experimentei o café frutado e ele realmente é doce, a gente sente o aroma do café, é sensível a diferença. É um passeio muito agradável, muito bonito e, no final, tem um casarão que é o Museu do Café, com máquinas antigas e fotos de família”, disse Paula. Para ela, o passeio deixou saudade. “Senti muito bem, consegui descansar, tenho a sensação de querer voltar”, falou.

As lavouras visitadas no passeio chamado Rota do Café estão dentro da área da Serra da Mantiqueira em Minas Gerais e acabam de ganhar um selo de indicação de procedência. O certificado é concedido pelo Instituto Nacional de Propriedade Industrial (Inpi). Para ter o selo, um dos critérios é obter nota mínima de 80 pontos na degustação, em uma escala que vai de zero a 100. A responsabilidade ambiental da lavoura também é considerada.

A qualidade o café ampliou o potencial turístico, mas as fontes hidrominerais não deixaram de ser o principal atrativo. O Parque das Águas, no Centro de São Lourenço, lidera o roteiro tradicional. São nove fontes de águas minerais, com propriedades terapêuticas e um balneário com diversos tipos de práticas de relaxamento.

A área é protegida por matas, possui um lago, quadras de esporte e restaurante. “Aqui é um lugar de bem-estar. A partir do momento que você entra, encontra um local muito verde, com natureza muito bela e rica, com árvores centenárias. O visitante vem para se sentir bem, para se prevenir”, disse a coordenadora do parque, Vera Vaz.

Anualmente, cerca de 350 mil visitantes passam pelo parque e fazem uso das águas minerais, ricas em ferro, magnésio, potássio, sódio e lítio. De acordo com a coordenadora, cada fonte é indicada para um tipo de tratamento preventivo. “A fonte Vichy de água alcalina é indicada para problemas gástricos e renais. No mundo, outra fonte com a mesma água só existe na França”, cita. Pelas propriedades terapêuticas, Vera explica que as águas de São Lourenço são usadas em diversos tratamentos, como problemas hepáticos ou dermatológicos, depressão, hipertensão, anemia, diabetes, sinusite, cálculo renal. O visitante pode levar para casa a água das fontes. A fama de ‘curativa’ faz com que ela seja receitada na rede municipal de saúde, segundo a coordenadora. De acordo com o secretário Municipal de Esporte, Cultura e Turismo, Sidney Cabizuca, São Lourenço recebe cerca de 25 mil turistas nos feriados prolongados. Um dos períodos mais procurados é o réveillon. “Estamos com 80% da rede hoteleira reservada. Com certeza, vamos chegar a 100% de ocupação. Vão ser dois shows em praça pública e queima de fogos da prefeitura e dos hotéis”, afirma. A partir do natal, uma pista de patinação no gelo é instalada em praça pública. “É tradição há dez anos, sempre no verão e na Praça Brasil, no coração turístico”, disse.
São Lourenço está localizado ao Sul do Estado de Minas Gerais,
próximo às fronteiras do Rio de Janeiro e São Paulo

Acostumada com a lotação, a cidade também já se organiza para o carnaval. De acordo com o secretário, cerca de 30 mil pessoas participam todos os anos do Bloco do Pijama, que completa 25 anos de folia de rua. Para descansar e se divertir a preços mais cômodos, uma dica é aproveitar a baixa temporada no começo de fevereiro. Ao longo do ano, outras atrações como o festival de inverno, em julho, e a festa do padroeiro, em agosto, movimentam a economia local. “Antigamente, o turista era veranista. Mas como o verão é um período muito chuvoso aqui, estamos investindo no turismo de inverno”, conta o secretário.

A temporada das férias é a mais movimentada para Márcio Carlos Silvério, 45 anos. Ele nasceu em São Lourenço e, há 20 anos, pode ser encontrado perto do Parque das Águas, onde oferece o passeio de charrete. “O turista sempre nos procura, a maioria é do Rio de Janeiro”. Conhecedor de todos os cantos, ele segue um roteiro para apresentar a cidade aos que vem de longe e revela uma preferência: a Quinta do Cedro, uma fazenda com criação de avestruz.

Vem de outra fazenda a receita do doce com leite de cabra (veja abaixo). A tradição doceira da cidade aliada à criação de caprinos está presente na mesa de café colonial, que é motivo de orgulho para os administradores Gilney Ribeiro Pinto e Tânia Resende Garcia. Além de provar os quitutes, quem visita a fazenda pode amamentar os cabritinhos em dois horários do dia. “É uma farra. Com três dias de vida eles são amamentados com mamadeiras”, conta o administrador.

O chamado turismo rural se firma como uma nova aposta, ao lado de incursões pelas montanhas para a prática de balonismo. A cidade pode ser vista de um voo panorâmico de balão. A viagem dura cerca de uma hora e custa R$ 300 por pessoa. “É um voo seguro, que não pode ser feito em dias chuvoso, nem com vento forte”, diz o piloto Luiz Cláudio Maciel.
Prática de balonismo sobre o Parque das Águas, principal ponto turístico de São Lourenço. (Foto: Luiz Cláudio Maciel/Divulgação)

A cidade de São Lourenço tem população estimada de 42 mil habitantes distribuídos numa extensão territorial de apenas 58 quilômetros quadrados, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). De acordo com a Secretaria de Esporte, Cultura e Turismo, oitenta e sete por cento da riqueza gerada na cidade está ligada ao turismo. Outras atividades, como o comércio, a produção de doces e de laticínios também se destacam. A cidade faz parte do Circuito Turístico das Águas, que inclui também os municípios Caxambu, Lambari, Cambuquira, Campanha, Soledade de Minas, Carmo de Minas, Heliodora, Baependi e Conceição do Rio Verde.

Culinária: Aprenda uma receita de doce de leite

Ingredientes:


5 l de leite de cabra cru
600 g de açúcar
0,5 g de bicarbonato de sódio
0,5 g de sal (opcional)

Modo de fazer:

Medir o leite. Pesar o açúcar e adicioná-lo ao leite, misturando bem. Passar o leite com o açúcar em um coador. Adicionar o bicarbonato de sódio e o sal. Levar ao fogo para o cozimento até dar o ponto, mexendo sempre. Para verificar o ponto, pingue uma gota do doce em um copo com água. A gota deve ir ao fundo sem desmanchar. Retirar do fogo e mexer o doce para resfriá-lo até 70ºC. Despejar em um recipiente limpo e seco.

Flávia Cristini
Do G1 MG

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Blue Lake, Nova Zelândia. As águas mais claros do mundo

Uma pesquisa recente revela que NIWA Blue Lake (Lago Azul), em Nelson Lakes National Park, tem clareza visual extrema, talvez só ultrapassado em todo o mundo por certas águas do oceano, como as do Pacífico SE perto da Ilha de Páscoa. A visibilidade do Lago Azul até supera a do renomado Te Waikoropupu ("Pupu") Springs em Golden Bay..

Especialistas dizem que somente algumas águas no Oceano Pacífico, têm uma maior clareza e pureza que a água encontrada no Blue Lake, Nova Zelândia.

Depois de seis visitas, os cientistas concluíram que a visibilidade horizontal na água no Lago Azul, localizado na Nelson Lakes National Park, varia entre 70 e 80 metros .

Medições feitas em laboratório com a melhor ferramentas disponíveis para aferição da visibilidade teórica da água destilada é de aproximadamente 80 metros. Portanto, a água do Lago Azul está muito perto da perfeita pureza (a partir de um ponto de vista óptico).

Em geral, os mergulhadores classificam a claridade da água como "excepcional" quando exceder 40 metros.

Hidrólogo Rob Merrilees, do Instituto de Água e Pesquisas Atmosféricas é o homem que observou pela primeira vez a claridade da água no Lago Azul, que mais tarde em comparação com a do Waikoropupu Te Springs, cuja clareza óptica atinge 63 metros. Além disso, o especialista caracterizou a água aqui como tendo tons azul-violeta, a cor vista apenas em muito lagos claros naturais.

O Lago Azul é "alimentado" por Lago de Constança, um lago glacial nas proximidades, e sua pureza é devido a uma represa natural de terra, situada entre os dois lagos, que desempenhou o papel de filtro de água.

Fonte: Xinhuanet

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Bora Bora, a fantástica ilha do arquipélago da Polinésia Francesa

 Bora Bora é uma ilha no grupo de Sotavento do arquipélago da Polinésia Francesa, uma coletividade ultramarina da França no Oceano Pacífico. O nome original da ilha em língua taitiana poderia ser melhor descrito como Pora Pora, que significa "First Born", uma transcrição precocemente em contas século 18 e 19, é Bolabolla ou Bollabolla. A ilha, localizada a cerca de 230 km (140 milhas) a noroeste de Papeete, está rodeada por uma lagoa e um recife de barreira. No centro da ilha estão os restos de um vulcão extinto com dois picos, o Monte Pahia e Monte Otemanu, o ponto mais alto tem 727 metros (2385 pés).

 Bora Bora é um importante destino turístico internacional, famosa por seus resorts de luxo aquacentricos. A ilha é servida pelo Aeroporto de Bora Bora Motu Mete no Norte, ao lado do St. Regis Resort, com a Air Tahiti oferecendo vôos diários de e para Papeete no Taiti. A parte mais habitada, Vaitape, está no lado oeste da ilha principal, em frente ao canal principal para a lagoa. A produção da ilha é mais limitada ao que pode ser obtido a partir do mar e os coqueiros abundantes, que foram historicamente de importância econômica para a copra. De acordo com um censo realizado em 2008, a população permanente de Bora Bora é 8880.









sábado, 10 de dezembro de 2011

Jersey - uma ilha britânica na costa da França

Jersey faz parte das Channel Islands (Ilhas do Canal), das quais também fazem parte Guernsey, Sark e Herm. É um estado independente, porém ligado ao Reino Unido. Possui suas próprias leis, impostos e sistema de governo. Usa a libra esterlina como moeda, mas imprime a sua própria libra, que, apesar de ter cédulas e moedas diferentes, tem o mesmo valor da libra inglesa. A representação estrangeira e a proteção militar são feitas pelo Reino Unido.

O mais curioso é que Jersey fica apenas 22km da costa da França, mas 160km do sul da Inglaterra. É possível avistar a França de vários pontos da ilha e o ferry para França demora apenas 50 min ao passo que para Inglaterra são no mínimo 4 horas. A ilha é pequena, 14km leste-oeste e 6km norte-sul, totalizando uma área de 116km quadrados. Um dia fiz o trajeto norte-sul de bicicleta em 20min! Bem, tenho que dizer que a estrada é uma descida contínua, uma barbada para ciclistas.

A população é de 87 mil habitantes, sendo 10% imigrantes portugueses vindos de outra ilha, a Madeira. A influência portuguesa e madeirense é forte e notada principalmente nos restaurantes típicos oferecendo espetada, bacalhau e outra delícias da cozinha portuguesa. Além disso é comum ouvir português nas ruas, bares, enfim, com 8 mil portugueses na ilha não é difícil encontrar um Manuel ou um Joaquim. Em menor escala há imigrantes da França (pela proximidade) e da Polônia (para trabalhar nos hotéis e construção).

A economia é forte no setor bancário (55% do PIB), turismo  e agricultura.

É no setor bancário que Jersey tem sua maior fonte de renda.São 55 bancos e mais de 33 mil empresas de offshore registradas. Os motivos para tamanha força são os baixíssimos impostos sobre ganhos financeiros (paraíso fiscal), estabilidade do governo e a proximidade com o Reino Unido e a Europa continental. O volume depositado nos bancos em Jersey está em torno de 150 bilhões de libras, sendo 68% em moeda estrangeira. Aqui é possível abrir contas em libra, euro ou dólar.

Além disso, o imposto de renda é de no máximo 20%, o que atrai milionários (e alguns bilionários) a sediarem suas empresas aqui. Muitos esportistas, atores, cantores e outras celebridades têm suas pessoas jurídicas registradas em Jersey.

O turismo é a segunda fonte de renda, respondendo por 25% do PIB. Em torno de 750 mil pessoas (8 vezes a população da ilha) visitam Jersey anualmente. A ilha têm tanto praias extensas como pequens baías com areias brancas. O turista pode escolher entre surfar, velejar, andar de bicicleta, mergulhar e até saltar de pára-quedas. Soma-se a isso uma grande variedade de restaurantes, hotéis e pousadas. Com forte influência francesa e portuguesa, comer fora é uma das principais atividades aqui.

A agricultura vem em terceiro lugar, respondendo por 5% do PIB. Os principais produtos são latícinios, batata e flores.

Outra curiosidade é que Jersey foi o único território britânico invadido pela Alemanha Nazista na 2a guerra. Ainda existem  bunkers, túneis e outros vestígios da ocupção. A praça principal de St Helier, capital de Jersey, chama-se Liberation Square, pois foi onde começou a liberação da ocupação nazista pelos aliados.

Cultura e patrimônio
Jersey revela-se aos poucos, à medida que passa por casinhas cobertas por glicínias e tradicionais casas de quinta em granito, banhadas pela luz do fim do verão. Siga o percurso do sol de leste para oeste, para descobrir esta essência rural e explore uma cultura única, moldada pelas influências britânicas e francesas, pela ocupação em tempo de guerra e pelas correntes eternas do Atlântico.

Atrações
Explore castelos magníficos, uma fauna fascinante, parques de aventuras e museus de experiência directa que realmente dão vida à história. E, em certos dias de verão, pode conseguir avistar alguns dos mais bonitos jardins privados da ilha. E há que não esquecer a capital, St Helier, com as suas lojas elegantes e sofisticadas e animados mercados vitorianos.

Música e vida noturna
É um local pitoresco, mas ainda assim Jersey tem uma boa selecção de bares e clubes e também uma série de excelentes pubs à beira-mar. E marca posição no plano da música – a ilha acolhe 4 célebres festivais todos os anos. Tem também um grande cinema, 2 festivais anuais de cinema e várias salas de teatro e outros espectáculos.

sábado, 3 de dezembro de 2011

Espírito Santo. Praias do Norte disputam título de melhor do verão


Praias do Norte disputam título de melhor do verão
Os visitantes de Conceição da Barra vão encontrar uma nova orla neste verão

Destino de grande parte dos turistas que procuram o Espírito Santo para passar o verão, Guriri e Conceição da Barra travam verdadeira disputa para montar a melhor programação e atrair o maior número de visitantes.

Só nesta temporada - incluindo réveillon e carnaval -, os balneários mais badalados do Norte vão oferecer cerca de 200 shows musicais abertos ao público. Além disso, vários investimentos em infraestrutura prometem fazer deste um dos verões mais badalados da história da região.

Segundo o corretor Francisco Botelho, cerca de 40% dos imóveis ofertados para aluguel nos dois balneários já foram alugados. "A procura está bem maior do que nos anos anteriores", diz ele, que é conhecido como Chiquinho.

foto: Sérgio Cardoso
Além de sol e mar, Guriri conta com uma maratona de shows musicais e outras atividades como atrativos, entre elas a tradicional ginástica aeróbica na praça

Equilíbrio

O corretor explica que o preço do aluguel em Conceição da Barra e em São Mateus é bem parecido, e que a procura não inflacionou o valor, pois muitos imóveis foram construídos recentemente.

Guriri, em São Mateus, terá cinco trios elétricos e, na praça principal, um grande palco e uma tenda cultural. "Será um palco livre, com manifestações culturais, dança e folclore. E a tradicional aeróbica na praça continua", adianta o presidente da Comissão do Verão Guriri 2012 e secretário de Turismo de São Mateus, Agnelo Netto.

Shows de atrações nacionais - que não são gratuitos - como Pisirico, Tomate e Gustavo Lima também têm data marcada na cidade.

Para o ano-novo, a Secretaria de Turismo promete a maior queima de fogos no município. E para que veranistas não enfrentem falta dágua e alagamentos, estão sendo feitas melhorias em abastecimento de água potável e rede pluvial.

Contenção

Em Conceição da Barra, a programação cultural também será extensa. A grande novidade do balneário, por onde passaram cerca de 250 mil turistas no último verão, é a conclusão das obras de contenção do avanço do mar sobre a orla, que custou mais de R$ 50 milhões.

Atrações

100 bandas - esse é o número, aproximado, de grupos que farão shows em Guriri.

6 bandas nacionais - é o numero dessas atrações em Conceição da Barra, além de 25 regionais e 30 locais.

Jaguaré também aposta em programação especial

A maioria dos moradores do Norte capixaba está acostumada aproveitar a alta temporada nos balneários de Guriri e Conceição da Barra. Mas, neste ano, deve ser diferente pelo menos para quem mora em Jaguaré. É que, pela primeira vez, em 30 anos de história, o município está preparando uma programação de verão, do réveillon ao carnaval.

A festa da virada contará com apresentações musicais e grande queima de fogos, de acordo com informações da prefeitura.

Praia artificial

Nos fins de semana seguintes, os shows e as apresentações serão realizados em uma praia artificial: o balneário Jundiá, criado, recentemente, no reservatório de água da cidade.

"Somente algumas famílias, com melhor situação financeira, podem ir para Guriri e Conceição da Barra. A grande maioria da população fica aqui", justifica o prefeito de Jaguaré, Sávio Martins.


A Gazeta
Patrik Camporez

Top 10 maravilhosas ilhas tropicais.


Estas são as dez ilhas e praias de top no mundo onde as pessoas podem sentar, relaxar, desfrutar do sol.

Seychelles 
Localizada na costa leste da África, essas ilhas são um paraíso. Se em qualquer lugar do mundo se me convencerem a desistir de tudo e viver em uma cabana na praia, seria em  Seychelles. Praias perfeitas, água perfeita, várias ilhas para passear e toda  reclusão que você poderia querer. As Seychelles são o meu sonho e devem ser de muita gente. Este grupo de 115 ilhas oferece tudo o que um amante da praia poderia pedir. Infelizmente, estas ilhas são bastante caras, mas acho que há um preço a pagar para o paraíso. A melhor época para visitar é durante a estação fria de maio a setembro, quando chove menos.

As ilhas Seychelles são líderes mundiais em turismo sustentável. O resultado final deste desenvolvimento sustentável é um ambiente natural intacto e estável, que atrai visitantes com grande poder financeiro mais do que turismo de massas de curta duração. Desde 1993 uma lei garante aos cidadãos o direito a um ambiente limpo, ao mesmo tempo que os obriga a proteger esse ambiente. O país detém o recorde da maior percentagem de terra sob protecção natural — quase 50% da área de terra total das Seychelles.

A fauna e flora da região é muito rica, podendo ser visto lá mais de 1000 espécies de peixes e algumas das maiores colónias de aves marinhas do mundo. Mas lembre-se que lá tudo é preservado e nãos e pode tocar na natureza!


As Maldivas



Localizadas no meio do Oceano Índico, esta cadeia de 1.000 ilhas (200 são habitadas, e apenas 5 têm uma população substancial) é apenas uma série de atóis de corais que estão pouco acima do nível do mar. Durante o tsunami de 2004, muitas destas ilhas foram completamente lavados. O governo tem construído barreiras contra inundações para ajudar a diminuir o impacto de eventuais tsunamis futuros. As suas exuberantes palmeiras, praias reluzentes, lagoas azul-turquesa e recifes de corais repletos de peixes de todas as cores, fazem das Maldivas um paraíso tropical único no mundo. Apenas cerca de 200 ilhas são habitadas e outras 83 foram desenvolvidas exclusivamente para o turismo. Estadias em resorts nessas ilhas em umas férias é muito caro. Felizmente, Bangkok Airways oferece voos baratos para a Tailândia. A melhor época para ir para as Maldivas é de novembro a maio, quando o tempo está fresco e seco. Junho a outubro vê clima mais úmido e mais quente, devido à estação das monções.

As Maldivas são um conjunto de ilhas situadas ao sul da Índia e a oeste do Sri Lanka, isoladas na imensidão do Oceano Índico. É dos poucos lugares da Terra que ainda conserva o seu estado natural. São 1200 ilhas, a grande maioria não ultrapassa os 6 km de comprimento por 2 km de largura. Estão agrupadas em 25 atóis dispersos numa área de 90.000 km. As suas exuberantes palmeiras, praias reluzentes, lagoas azul-turquesa e recifes de corais repletos de peixes de todas as cores, fazem das Maldivas um paraíso tropical único no mundo. Apenas cerca de 200 ilhas são habitadas e outras 83 foram desenvolvidas exclusivamente para o turismo.

Ko Lipe


Localizado no sul da Tailândia, esta semi-off-the-map ilha é um dos meus favoritos. Aqui em Ko Lipe, os moradores super-simpáticos trazem a pesca diária de frutos do mar incríveis, como a água da ilha está repleta de vida. Alojamento ainda é básico, e mais lugares desligar a eletricidade em torno da meia-noite. Fechar a esta ilha é uma pequena ilha que oferece oportunidades de mergulho excelente. Você pode até ver um tubarão de recife poucos. Banheira de água quente e praias de areia fina fascinam. Visite entre novembro e março para o melhor tempo e o menor número de pessoas. Maio e outubro de vê uma dura temporada de monções que fecha a ilha. A melhor maneira de chegar lá é por barco a partir de Pak Bara.


Bali


Este meca turística é eleito um dos melhores ilhas do mundo ano após ano. Há espaço suficiente em Bali para todos, o surf é grande, a comida incrível, é sujeira barato, as partes são grandes, os locais são alguns dos mais amigáveis ​​do mundo, há um vulcão em atividade, e há templos para visitar. Claramente, Bali tem tudo isso. Ocorreram atentados em 2004 e 2005 ferindo turistas na ilha, mas o governo aumentou a segurança e não tem havido alguns problemas desde então. Para aqueles que procuram um movimento ativo de férias tropicais, Bali é o lugar para ir. O tempo permanece bastante constante durante todo o ano, embora de abril a outubro se vê um clima um pouco mais seco.


Hawaii – Ilha Grande


A Ilha Grande ou a Ilha do Hawaii têm tudo o que você pode querer, mas o que diferencia esta ilha das outras é o Volcano National Park. Pode explorar vulcões, escalar por tubos de lava antigos e ver lava a entrar no oceano. Pode também visitar as cascatas de água na ilha. A melhor altura de visitar o Hawaii é de Outubro a Março apesar do clima ser mais fresco.


Ilhas Cook


Outra ilha do Pacífico Sul em grupo. Ilhas Cook são muito longe no mapa. OK, não muito longe, mas são consideravelmente menos visitada do que alguns de seus vizinhos. Estas pequenas ilhas são nomeados após James Cook, o homem intrépido que as descobriram. Com poucas comodidades, este é o melhor local para encontrar o seu náufrago interior e escapar da vida moderna. As ilhas ver a meteorologia semelhante ao restante da área, com temperaturas durante todo o ano quente e úmido.


Curacao


Localizada no Mar do Caribe, esta ilha de propriedade holandesa é perfeita. Eleita uma dos melhores do Caribe, Curaçao é como estar na Holanda tropical. A cidade foi construída no estilo holandês, mas as áreas circundantes são todos tropicais. Hit das praias, coloque no sol, e festa pela noite fora. Isto pode não ser Ilha dos Birutas, mas o que falta na vida privada, torna-se no romance e diversão. O clima é muito estável aqui durante o ano. É sempre quente e geralmente ensolarado. Se chove, é entre novembro e janeiro. E não se preocupe com os furacões - é abaixo do cinturão de furacões!

Ilhas Perhentian


As ilhas Perhentian são duas ilhas que estão localizadas na costa oeste da Malásia. As duas ilhas são espectaculares e estão cobertas de palmeiras, grandes praias e água azul cristalina. Não há muito para fazer aqui e os visitantes relaxam todo o dia na praia, para descansar da noite de festa. Os monções fortes e as tempestades limitam as viagens para estas ilhas entre Março e Outubro.


Fonte: Agências de Turismos


quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Búzios. Praias e badalação de bares e boates


Búzios reúne jovens em busca de praias e badalação de bares e boates
Canto direito da Praia de Geribá é o point das escolinhas de surf.
Sul de Búzios oferece ainda praia destinada a banhistas nus.

Búzios fica a 166 km do Rio. De carro ou ônibus, o trajeto dura pouco mais de duas horas. No entanto, nos meses de verão, o mesmo percurso pode ser feito pelo dobro do tempo habitual. Outra opção para se chegar à cidade é pelos navios transatlânticos. Búzios está no itinerário de quase todos os cruzeiros que navegam pela costa carioca.

A cidade tem diversas opções de hospedagem. Fora da temporada de verão é possível encontrar diárias com preços a partir de R$ 70 em pousadas mais distantes da praia e com ruas de ladeiras íngremes. Nos meses de dezembro a fevereiro, as tarifas podem dobrar de valor. Quem está disposto a gastar nas férias, tem como opções resorts e pousadas à beira da praia, com pacote de sete dias saindo por mais de R$ 6 mil.


Estátua da atriz francesa Brigitte Bardot é um dos principais pontos turísticos de Búzios (Foto: Tássia Thum/G1)


Orla Bardot
A Avenida José Bento Ribeiro Dantas, no Centro, é mais conhecida pelo nome de Orla Bardot, em referência à atriz. O trecho é um dos mais charmosos e badalados da cidade. Na região está a Praia da Armação, que não é indicada para o mergulho, mas é indispensável para as fotos. Ali estão as rústicas colônias de pescadores, com barquinhos coloridos ancorados por todo o mar, misturados com os transatlânticos das mais diversas companhias de cruzeiro.



Praia Brava atrai surfistas com ondas de até três metros de altura (Foto: Tássia Thum/G1)

Não é exagero dizer que Búzios fica acordada 24 horas por dia no verão. A cidade na Região dos Lagos do Rio de Janeiro é um dos principais destinos escolhidos pelos jovens e surfistas para curtir as férias. Pela manhã, o ponto de encontro da turma que se alimenta de sol e açaí é a Praia de Geribá, ao sul do balneário. À noite, o agito das ondas é substituido pelos bares e boates da Rua das Pedras e da Orla Bardot.

A Praia de Geribá é a mais famosa da cidade e se divide em canto esquerdo e direito. Na alta temporada, entre os meses de dezembro a fevereiro, as pranchas disputam espaço na areia com os guarda-sóis.
No lado direito da orla há diversas escolinhas de surf, que também oferecem aulas de stand-up paddle – espécie de surf com prancha longa e remo - e passeio de surf rafting – modalidade que usa um bote de rafting adaptado com remos. O valor das atividades varia de R$ 60 a R$ 120.

“Aumenta a cada temporada a procura de mulheres por esses esportes. Às vezes, na primeira aula, o aluno já consegue ficar de pé e praticar o surf ou o stand-up paddle”, diz o instrutor Aluízio de Moraes, da Búzios Tur, agência de turismo especializada em esporte de aventuras.

Geribá já serviu de cenário para as locações da novela "Viver a Vida" e da comédia "Muita calma nessa hora". Um dos principais points é o Fishbone, na Rua dos Gravatás. Além dos sucos e sanduíches naturais, o lugar é conhecido pelas festas e DJs que animam as tardes de sol.

Canto esquerdo de Geribá

Para quem é avesso às badalações e prefere sombra e água fresca, o lugar ideal é o lado esquerdo de Geribá. O mar é calmo e repleto de barquinhos coloridos de pescadores, que saem no final da tarde com a rede e a jangada. O local é muito frequentado por famílias e crianças.
saiba mais

Na mesma região estão as praias de Ferradurinha e Ferradura, que se destacam pelas pousadas e resorts mais luxuosos. Segundo moradores de Búzios, são nesses bairros que se concentram as taxas mais altas de IPTU. Um dos programas preferidos para quem frequenta essas praias é o passeio de caiaque e banana boat.

Surfistas e naturistas
A região Sul de Búzios ainda reserva encantos como as praias Brava, Olho de Boi e Forno. A Brava, como o próprio nome diz, tem ondas grandes, que podem chegar a três metros de altura, para o delírio dos surfistas. É também na Praia Brava que se localiza o mirante mais alto de Búzios, que garante um visual privilegiado de toda a cidade.

Ainda na Praia Brava, está uma trilha na mata costeira que serve como o principal acesso à Praia Olho de Boi, recanto destinado exclusivamente a banhistas nus. Nos meses de verão, há inclusive um fiscal para proibir a entrada de biquínis e sungas.

Seguindo ainda pela região, chega-se à Praia do Forno, um outro recanto paradisíaco. Além de ostentar um mar cristalino, a praia é formada por uma pequena faixa de areia de tonalidade vermelha, resultado da decomposição dos detritos da rocha, que cercam a praia.

Buggy e Trolley
Os barcos não costumam circular pela parte sul do balneário. Duas opções divertidas para conhecer este lado da cidade são os passeios de trolley e buggy. O trolley é um caminhão adaptado, aberto de todos os lados, ótimo para fotografar a paisagem. Um passeio de duas horas no veículo custa R$ 50. O trajeto é composto por uma visita a 12 praias e aos mirantes de João Fernandes e Brava.

Já quem prefere um passeio mais rústico, pode optar pelo buggy. Uma hora de buggy, com a presença de um guia turístico, custa R$ 30 por pessoa. O carro também pode ser alugado, pelo período de 24 horas. Neste caso, a diária custa R$ 80, além dos gastos com gasolina. Na alta temporada, que começa a partir de 26 de dezembro, o aluguel do buggy pode chegar a R$ 120.

Rua das Pedras
Outro lugar tão famoso quanto às praias é a Rua das Pedras. O piso simples de pedras ganha charme ao se misturar com as lojas de grifes e restaurantes badalados que completam a via. No melhor clima praiano pode-se encontrar serviços e roupas típicas dos shoppings centers das grandes metrópoles. Na alta temporada, as lojas funcionam até as 3h.

Apesar do glamour, há opções na Rua das Pedras para os diferentes bolsos. Nas esquinas ainda se encontra algumas iogurterias, creperia e redes de fast food.

Mas se a intenção é fazer das férias um programa de casal, alguns restaurantes de Búzios se aproveitam da atmosfera da cidade e servem jantar à luz de velas, como o Bar do Zé, na Orla Bardot. A dose de romantismo tem seu preço. Geralmente uma refeição para dois não sai por menos de R$ 100.

Como Búzios é uma cidade que agrada a pessoas de todos os gostos, os solteiros também têm os lugares propícios ao clima de paquera. Na Orla Bardot está a boate Privilège, que toca música eletrônica. Ao lado está o Anexo Bar, que reúne o público com faixa etária acima de 25 anos. O diferencial do bar são as espriguiçadeiras com vista para o mar.


Tássia Thum. Do G1 RJ




As praias de Buzios
Uma península de 8km com mais de 20 praias de todos os estilos


Localizada na Região dos Lagos, 180 quilômetros a leste do Rio de Janeiro, Búzios é banhada pelas correntes marítimas da Antártica e do Brasil. Por consequência, o clima é mais ameno, as águas são transparentes e a vida marinha muita rica. Perfeita para os amantes do mergulho.

Esticar a toalha não é problema numa península com mais de 20 praias. Búzios possui praias paradisíacas, onde o visitante tem a opção de escolher aquela que mais se adeqüa aos seus gostos e estilo. Desde a Praia da Armação, caminhe por um trecho do calçadão, suba o morrinho da igreja de Santana, a padroeira de Búzios, e vá até a praia dos Ossos (300 m). De lá, é por onde se vai até a Azeda e Azedinha -- acessível tanto por uma trilha pelos costões, na qual se anda ao lado de surpreendentes cactos de até quatro metros de altura, ou tomando os aqua-táxis.

Uma bela Área de Proteção Ambiental (APA) que tem como marco um casarão colonial abandonado no meio da areia, essa é a famosa e atraente praia Azeda. Uma pequena bahía de costões rochosos, com pouco declive, cercada de vegetação com uma praia deslumbrante e orientada em direção ao oeste com vista direta do pôr do sol.

Veja um Vídeo de Buzios com as praias, a Rua das Pedras e os principais pontos da península

Seguindo em direção ao extremo leste da península é a vez da mais turística praia de Búzios, João Fernandes, e logo em seguida João Fernandinho. Freqüentada pricipalmente pelo turismo internacional e com movimentação o ano todo, a praia tem a forma de semi-círculo, com águas calmas, azuis e transparentes.

A cidade possui mais de 20 praias conhecidas, sendo que ao norte da península estão as de águas mais quentes. A Praia da Tartaruga, local de onde saem as escunas de excursão, é perfeita para o mergulho e Manguinhos que oferece o mais bonito pôr do sol da região.

Já no lado sul da península de Búzios, a Praia Brava, de mar aberto, é um dos picos de surf em buzios. Ao contrário, a Praia do Forno, encravada em uma bela enseada, possui águas calmas e pouco vento. Não deixe de passar na Brava e na Praia do Forno. Elas são mais isoladas, há menos casas e hotéis ao redor. A Brava tem um estilo despojado, com alguns bancos de madeira, pranchas estancadas na areia e uma trilha para caminhar sobre as rochas. Ali fica um dos ótimos bares pé na areia de Búzios.

Seguindo em frente, está a Praia da Foca, uma minúscula enseada no meio de rochedos, com uma pequena faixa de areia branca e água transparente. A Lagoinha, logo depois, oferece pequenas piscinas naturais que se formam por entre as rochas. Seguindo na direção oeste chega a vez da Praia da Ferradura, local de águas calmas e azuis, onde está grande parte das belas casas de Búzios.

Por último e não menos importante, a Praia de Geribá com sua extensa faixa de areia, é o ponto de encontro dos jovens. A partir de uma trilha saindo de Geribá, chega-se a um recanto incrível, a Praia da Ferradurinha, uma das mais belas de Búzios e do Brasil. Quem quer ir atrás de uma praia com espaço para jogar frescobol, tomar banana-boat e agitar deve seguir para Geribá, a mais extensa de todas as praias de Búzios e o principal pico de Surf da cidade, com 4 km de extensão. Um ponto famoso é o Fishbone, vira quase uma balada no final da tarde.

PRAIA DA AZEDA. Tem extensão de 300 m, águas azuis, cristalinas, areias claras, e finas. A Praia da Azeda é tida como uma das praias mais bonitas do Brasil. Ssó pode ser alcançada de barco, ou por uma pequena trilha. Atrás dela, há uma mata protegida pela APA (Área de Proteção Ambiental), bem perto dela está outra praia bem menor, mas igualmente bela, conhecida como Azedinha.

Praia Azeda
PRAIA DA AZEDINHA, no extremo direito da Azeda com apenas 50 m não é menos bonita, e com certeza muito mais sossegada. Águas calmas, é uma das preferidas por famílias que não querem deixar seus filhotes em casa.
Praia Azedinha


PRAIA BRAVA, não é muito badalada por causa das fortes ondas, mas a preferida da rapaziada do surf. Rodeada de paredões rochosos e vegetações rasteiras, é praia de mar aberto e ainda conserva a beleza selvagem e recantos aconchegantes.


PRAIA DO CANTO, com mais ou menos 1.500 m de extensão fica no centro de Búzios. Apesar de constante presença de barcos de pesca tem águas calmas e límpidas. No lado esquerdo duas jóias, dois recantos paradisíacos: as praias dos Amores e das Virgens.


PRAIA DAS CARAVELAS, pequena e muito bonita com areia clara e mar calmo, a Praia das Caravelas tem acesso através do Búzios Bauer Club, no km 12 da estrada que liga Búzios a Cabo Frio (perto de Tamoios).


PRAIA DA FERRADURA, é a praia do jet-ski, banana, windsurf, mergulhos e passeios de barco. Conta com quiosques para venda de bebidas e petiscos diversos. Chopinho gelado com peixinho frito. Cercadas de belas mansões, cactos e bromélias.


PRAIA DA FERRADURINHA, uma das mais encantadoras praias brasileiras. Entre as pontas da Boca da Barra e da Ferradurinha há uma verdadeira piscina natural de areias finas, claras e rochedos que formam patamares circundando o local.


PRAIA DA FOCA, cujo nome se deve ao aparecimento de uma foca anos atrás está localizada entre as praias do Forno e da Ferradura é uma verdadeira piscina natural, cercada de rochedos. Mar manso e águas transparentes.


PRAIA DO FORNO, pequena área cercada de vegetação cerrada e um mar sereno, com aspecto selvagem. Ideal para curtição do sol na paz. Caracteriza-se por ter sua areia vermelha. Ideal para mergulho já que o fundo rochoso abriga grutas e piscinas naturais


PRAIA DE GERIBÁ, praia da galera local, um praião com dois quilômetros de extensão e uma larga faixa de areia fina. Um dos points mais badalados da península e mais concorridos no reveillon, reúne a moçada bonita nos bares e restaurantes.

PRAIA DE JOÃO FERNANDES, praia do agito, da curtição, da juventude. Ao som da MPB bares e restaurantes, de um lado e outro da orla, servem petiscos, frutos do mar, bebidinhas quentes e frias. Muito freqüentada por turistas estrangeiros.


PRAIA DE MANGUINHOS, seu nome deriva de um antigo manguezal. Tem águas escuras e sem ondas, preferida para os esportes à vela. Extensão aproximada de 8 km. Areias cobertas de conchas. Dela pode-se avistar as ilhas Feia e Rasa.


PRAIA OLHO DE BOI, praia de nudismo tem acesso através de uma trilha pelo canto direito da Praia Brava. Lá, a natureza atingiu o máximo em beleza e isolamento, é onde os nudistas podem curtir a liberdade oferecida.


PRAIA DOS OSSOS, nome derivado das ossadas de baleia ali encontradas nos velhos tempos. Pequena e bonita lá estão o Iate Clube, casas cercadas de amendoeiras e, numa pequena elevação à esquerda, a histórica Igreja de Sant´Anna, padroeira da cidade.


PRAIA RASA, com águas tranquilas e pouco profundas localiza-se no extremo esquerdo da Praia de Manguinhos, onde há trechos de áreas gramadas, cercada de eucaliptos e vegetação típica de restinga. O vento forte constante atrai os adeptos do windsurf.


PRAIA DA TARTARUGA, entre as pontas da Sapata e da Cruz, a praia é cortada ao meio por uma formação rochosa e tem águas esverdeadas e transparentes. Parada obrigatória de escunas de passeios com ótimos bares e restauranes.



PRAIA DE TUCUNS, distante do agito é quase deserta e tem acesso pela estrada de Búzios/Cabo Frio. Sua extensão de 2,5 km é revestida de vegetais típicos de restinga que se estende até às dunas. Suas águas são claras e bastante azuis.

sábado, 26 de novembro de 2011

21 paisagens mais extraordinárias do planeta

21 paisagens mais extraordinárias do planeta


Ilhas exóticas, trilhas impossíveis, penhascos com cidades milenares, rios que cortam florestas e são cenários de cinema. O My Random Stuff, principal site de lifestyle da Suécia, listou os 21 lugares com paisagens mais únicas do mundo.


São cenários que não se parecem com nenhum outro no planeta. Há até um representante brasileiro: Fernando de Noronha e os morros dois irmãos. Abaixo, uma seleção de oito dessas regiões – e o porquê delas se destacarem entre tantos lugares bonitos. A lista completa está aqui: My Random Stuff .


FERNANDO DE NORONHA, BRASIL
Fernando de Noronha, Brasil – único representante brasileiro na lista, a ilha impressiona por suas enormes formações rochosas próximas à areia. Tem algumas das mais belas praias do mundo.

PROVÍNCIA DE YUNNAN, CHINA
Terraços com plantações de arroz, província de Yunnan, China – são milhares de terraços coloridos, nivelados em morros com até mil e quinhentos metros de altura. Tudo isso cercado pelo famoso rio Yang Tsé.

ILHA BORACAY, FILIPINAS
Ilha Boracay, Filipinas – com apenas seis mil habitantes, é uma das ilhas mais exóticas do mundo, repleta de piscinas naturais cercadas por paredões rochosos brancos. Fica na linha equatorial, com verão o ano todo.

ILHA DOS ESPÍRITOS, CANADÁ
Ilha dos Espíritos (no lago Magligne), Canadá – é uma ilha fluvial minúscula, isolada no meio do lago no Parque Nacional de Jasper. Lendas de fantasmas rondam o lugar, que no inverno é coberto por uma bruma constante.

VILDA DA PEDRA, ITÁLIA
Vila da Pedra, Vernazza, Itália – com quase mil anos de existência, a pequenina cidade está debruçada sob uma pedra gigante com 300 metros de altura. Suas casinhas e muros datam, quase todos, do período medieval.


ÉTRETAT, NORMANDIA
Étretat, Normandia, França – no extremo norte da França, a região ficou conhecida por ser o refúgio de férias de Monet, no final do século 19. Seus altos penhascos formam arcos gigantes sob o mar.


RIO WHANGANUI, NOVA ZELÂNDIA
Rio Whanganui, Nova Zelândia – localizado na ilha do Norte, é o maior rio navegável do país e atrai muitos turistas aventureiros, que velejam e fazem rafting. Serviu como locação para a trilogia O Senhor dos Anéis.


TRILHA AWAPUHI KAUAI, HAVAÍ
Trilha Awapuhi Kauai, Havaí – o hiking mais difícil do Havaí consiste em uma caminhada que das colinas Awapuhi até o vale Nualolo, 600 metros abaixo. O percurso tem de ser feito com cordas e equipamento para escalada.

Veja alista completa em http://www.myrandomstuff.se/?p=1489

Por Laura Ancona Lopez